The Bureau: XCOM Declassified

"Não é para fãs?
The Bureau é um jogo de ação tática, ou seja, ainda tem uma forte componente estratégica onde ordenam uma pequena equipa, mas controla-se como qualquer outro título de ação na terceira pessoa (imaginem Mass Effect). Apontam, disparam, rebolam e procuram cobertura. Até gostámos do que vimos, mas é possível que alguns fãs não apreciem esse desvio para a ação pura, até porque The Bureau serve como uma espécie de prequela de origens.

Problemas de fluidez
A versão que jogámos apresentou algumas quebras ocasionais na framerate, prejudicando a experiência geral. Não foram necessariamente graves, mas ainda assim incomodativas. De qualquer forma, como se trata de uma versão inacabada, é possível que tudo se resolva antes do lançamento.

Mundo envolvente
O novo jogo decorre em 1962 e conta as origens de XCOM e como a divisão veio a ser formada. A equipa de produção parece ter tido grande cuidado na definição do cenário e das personagens, oferecendo um mundo detalhado num ambiente poucas vezes utilizado nos videojogos.

Jogabilidade coesa
O jogo afasta-se um pouco do conceito normal da série e isso pode desagradar alguns fãs, mas pela nossa experiência com esta versão inacabada, a jogabilidade parece estar no bom caminho. Como título de ação, XCOM cumpre bem e mesmo a componente tática parece interessante. Resta ver como tudo fica em termos de equilíbrio e se a inteligência artificial está à altura dos acontecimentos.  

ÚLTIMAS IMPRESSÕES

Como história de origem, The Bureau tem potencial. A era parece-nos perfeita, os diálogos são interessantes e a jogabilidade parece estar à altura das exigências de um jogo de ação tática. Ainda existem algumas dúvidas que teremos de dissipar na análise, mas as primeiras impressões de The Bureau: XCOM Declassified são positivas."


Fonte:bgamer

Quais as vossas expectativas para esta nova edição de XCOM?

Cumoprimentos,
Kinguin.pt